Interação com comunidades quilombolas

Em parceria com o Escritório Regional do Fundo das Nações Unidas para a Infância e Adolescência (UNICEF) e do Instituto Saber Ser Amazônia Ribeirinha (ISSAR), o Programa, por meio de um projeto de pesquisa, se propõe a investigar as situações econômicas, sociais, demográficas, ecológicas e de saúde de populações quilombolas. O objetivo é subsidiar a construção de processos e alternativas que melhorem a qualidade de vida dessas comunidades. O levantamento tem sido realizado em oito comunidades no município de Cametá, Estado do Pará: Mola, Itapocu, Bonfim, Frade, Laguinho, Tachizal, Tomásia e Tabatinga, totalizando cerca de 200 famílias.